No Comments

Lombalgia aguda

A maioria das lombalgias é do tipo aguda, que dura alguns dias a semanas. Os episódios dolorosos, muitas vezes, se resolvem com menos de 14 dias, sem perda de funcionalidade.

A maioria das causas é mecânica (alterações posturais, degenerativas, ou contraturas), ou seja, alterações na biomecânica da coluna (coluna vertebral, ligamentos, musculatura, discos, nervos, etc). Acontece após esforço físico ou traumas e a dor costuma ser forte. Mais frequente em jovens, após atividades físicas, trabalhos extenuantes ou má-postura.

 

Lombalgia subaguda

A dor lombar subaguda é definida como dor que dura entre 4 e 12 semanas.

 

Lombalgia crônica

A dor lombar crônica é definida como dor que persiste por 12 semanas ou mais.

Um quinto das pessoas com dor lombar aguda podem evoluir para dor lombar crônica. Eventualmente, o tratamento conservador melhora a dor, mas em outros casos a dor recorrente precisa de tratamento médico.

Muitas vezes ela se comporta quase de maneira permanente e atrapalha a qualidade de vida cotidiana. Comum em indivíduos com 50 anos ou mais. Os diagnósticos comuns incluem lombalgia músculo-esquelética – dor lombar pela síndrome dolorosa miofascial, hérnia de disco, degeneração do disco, artrose interapofisária, distensão muscular, polimialgia, estenose da medula espinhal, compressão por fratura devido a osteoporose, e artrites (osteoartrose, artrite reumatoide, artrite psoriásica).

Cuide da sua musculatura abdominal e paravertebral, que auxiliam muito a estabilizar e poupar a coluna!
Faça atividade física, se puder e se a dor for leve a moderada, não pare, pois a inutilização traz atrofia e cada vez mais a dificuldade aumenta para que aconteça a recuperação plena da região muscular envolvida.

 

Davi Feldmann

Categories: Uncategorized

About the Author

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *